Um roteiro de viagem por Budapeste, Viena e Praga: o relato do João

 

Neste post do Viaje na Viagem, relatei uma viagem que fiz para Budapeste, Viena e Praga. Depois de usar as dicas do post, o João deixou o relato de sua própria viagem nos comentários aqui do blog. Como as dicas estão novinhas, resolvi transformar em post. Segue o relato do João: 

“Em Budapeste (linda e ampla cidade, pessoal ameno e receptivo) a dica é o hotel La Prima, na rua Pesti Barnabás, nº 6. É um hotel novo e moderno, inaugurado em 2011, muito bem localizado (meia quadra da rua Vaci e 1 quadra e meia do Danúbio, próximo à ponte Elizabeth), excelente serviço, staff atencioso, 82 euros/dia, com café-da-manhã, reservei pelo booking. 

Bem embaixo do hotel tem um restaurante italiano, La Porta di Taormina, muito recomendável, música suave ao vivo, 49 euros para 2 pessoas (entrada, prato, vinho, café). Outra dica gastronômica – restaurante Menza, próximo ao Conservatório Lizst. Ambiente moderno, boa cozinha típica. 

Por falar no Conservatório, não pudemos visitá~lo, pois está em obras. Uma pena! 

Nós tomamos o ônibus turístico HopON HopOFF nos 2 primeiros dias, o que facilitou o deslocamento e localização na cidade e inclui ida e volta à ilha Margarida. Nos outros 2 dias ficamos “on my own”. 

Vale muito um passeio pela Ilha Margarida – muito bem cuidada, toda florida, local de lazer para os nativos, momento para não fazer nada e depois descansar… 

Vale também subir na torre da Basílica de Santo Estevão, a vista é muito linda, tem-se uma boa noção de Budapeste lá de cima. Tem elevador! 

No lado Buda, o Castelo, o Bastião dos Pescadores e a Igreja Matyas… subir no funicular é pitoresco! 

Tomar cuidado na estação Keleti – há uma máfia com uniforme da MAV que, a pretexto de ajudar na localização da plataforma e dos trens, procura extorquir o turista. De mim levaram 2 euros somente, mas vi literalmente pegarem da carteira de um casal de japoneses uma nota, só não vi quanto… melhor não aceitar ajuda!!!. 

Viena impressionou pela limpeza, organização, segurança e funcionalidade da cidade – o transporte é integrado (metrô, tram, ônibus); não se vê policiamento ostensivo e parece não haver controles – compramos o passe de transporte de 72h e nunca nos solicitaram! 

A dica de hotel para quem chega de trem de Budapeste (nosso caso!) é o Motel One, junto à estação Westbahnhoff – novo, funcional, bom serviço, 69 euros/dia para 2 pessoas, sem café-da-manhã (acho que era uma promoção, pois tinha reservado por 84 euros e a diferença a menor veio em boa hora!). É do tipo Ibis – grande, talvez meio impessoal, mas na minha opinião, um Ibis melhorado! A distância ao centro não foi problema: uma boa caminhada pela rua Mariahilfer ou o metrô resolvem o assunto… 

Vale muito uma visita à Ópera de Viena, mesmo somente como tour, e também ao Musikverein (aqui assistimos a Filarmônica e a Sinfônica de Viena, simplesmente fantásticas!) 

Válida também uma ida ao Teatro de Marionetes do Palácio Schonbrunn (assistimos à Flauta Mágica de Mozart – excelente, a sincronia do movimento das marionetes com a música é fora-de-série!). É em alemão, lógico, mas tem folder em espanhol sobre o espetáculo, o treinamento dos “marioneteiros” e a confecção das marionetes. 

O Museu Freud e a Mozarthaus valem a visita também! 

Fomos ainda assistir a apresentação de cavalos na Escola de Equitação Espanhola no Palácio Hofburg, centro de Viena – o treinamento dos animais é impressionante! 

Em relação a restaurantes – o Figlmüller, desde 1905 (o maior schnitzel de Viena!), é recomendável; válida também é uma ida à Grinzing para almoçar numa Heuringen (taverna) – servem schnitzel, entre ouros pratos, e vinho do ano. Pegue o tram 38 na estação Schottentor e vá até o fim da linha. 

De Viena fomos de trem para Praga. 

Praga é mais suja que Budapeste e Viena, principalmente, mas tem seus encantos.

O Relógio Astronômico na praça da Prefeitura / Staromestské Námestí, cujas baladadas são puxadas por um esqueleto, é fantástico. Fiquei com a impressão que os tchecos pensam na morte e lidam muito bem ela, certamente reflexo da história deste povo! 

Ficamos no hotel Falkensteiner Maria Prag, na frente da estação de trens. A zona não é assim uma brastemp, como diria o Comandante do Vnv Ricardo Freire, mas facilitou a chegada e a saída com as malas e a ida à Ópera, localizada a 2 quadras do hotel, na mesma noite da chegada. Bom hotel, bom serviço, pessoal atencioso e prestativo, café-da-manhã exagerado até, 101 euros a diária para 2 pessoas com CM, reservei pelo booking. 

Além dos passeios básicos, recomendaria a Ópera (assistimos o balé Gisele – fantástico, obrigado pela recomendação Wanessa!), o Rudolfinum (assistimos a Filarmônica Tcheca na sua própria casa, a sala é belíssima, excelente programa!) e a Smetana Hall, a Casa Municipal (lindíssima decoração, assistimos a um quinteto de cordas tocando Mozart e Dvorák). 

Vale também uma visita ao Museu do Comunismo – muitas peças da época, bustos, estátuas de Lenin e Stálin, a propaganda comunista, registros da Primavera de Praga e da queda do comunismo. Fiquei com a idéia que o regime comunista mentiu muito sobre o Ocidente, exagerando seus defeitos e suas mazelas para a população, e que a democracia ocidental foi mais realista e verdadeira conosco sobre o comunismo. 

Imperdível é o Museu Kafka, em Mala Strana, faz pensar! 

Há uma instalação do polêmico escultor tcheco David Cerny na frente do museu (2 homens urinando sobre o mapa da República Tcheca, um deles inclusive, mexe com o quadril para um lado e para outro – entenda se puder!) e várias outras espalhadas pela cidade. 

Restaurantes, recomendaria o U Laury, Nerudova 10 (na subida para o castelo, calçada da direita para quem sobe) – entra-se por uma grande porta, é um pátio interno, muito acolhedor; comemos uma tábua tcheca para 2 pessoas – carne de pato, cervo, porco junto pirê assado, pão de arroz e salada mista, acompanhando de 500ml de cerveja pilsen – o almoço foi às 15h e o prato é tão farto que não conseguimos jantar naquela noite! E um restaurante, não lembro o nome, que fica no pátio interno atrás do museu do comunismo. Comida típica, garçonete muito atenciosa. Não confundir com o McDonald’s que existe junto! 

Em Praga fomos para o aeroporto num ônibus (express shuttle) que se pega na estação central – foi um pouco trabalhoso, meio complicado achar o local, mal sinalizado, ônibus cheio, teria sido bem mais confortável um transfer, embora mais caro; preço: 2 euros por pessoa. Não recomendo, melhor o transfer a 20 euros para 2 pessoas! 

Finalmente Paris! 

Chegamos às 15h e, como era uma noite só, ficamos Ibis do aeroporto CDG, fizemos o check-in e fomos direto para o centro. Pegamos o RER (não recomendo – trem velho, sujo, muito cheio, desconfortável, melhor o Roissy Bus até a Ópera) e caminhamos pela Íle de la Cité, Sena, Notre Dame e por Saint Germain, onde havíamos ficado em 2010. Foi muito prazeroso este passeio descompromissado! 

Quero deixar a recomendação da rua Gregoire de Tours – é uma travessa do Boulevard Saint Germain, onde existem vários restaurantes.  Jantamos na creperia La Petit Tour, no nº 6. É a 3ª vez que jantamos lá, 2 em 2010 quando ficamos 10 dias em Paris, e continua muito boa, recomendável, embora o preço tenha subido sensivelmente. 

Voltamos para o CDG por volta das 22h no RER, a volta foi bem mais tranquila, quase sem paradas intermediárias e, na manhã seguinte, tomamos o vôo para o Brasil. 

A ilusão, ou melhor, as férias, estavam acabando… 

Era isto, pessoal. Espero que ajude alguns viajantes.”.

Muito obrigada pelas dicas, João! Tenho certeza de que ajudarão outras pessoas a ter uma viagem tão linda quanto a sua!

Anúncios

93 Responses to “Um roteiro de viagem por Budapeste, Viena e Praga: o relato do João”


  1. 1 João. 15/05/2012 às 21:36

    Wanessa,
    estar em destaque no teu blog é um estímulo a novas viagens. Eu e minha Clarice agradecemos a distinção.
    Esperamos que seja de auxílio aos novos e habituais trippers.
    Até a próxima…
    João e Clarice.

  2. 2 Alessandro Paiva 16/05/2012 às 0:37

    Bacana, hem! Essas três cidades estão na minha lista!

  3. 3 Angela Sulzbach Schulze 23/05/2012 às 7:24

    As informações do João (e “sua Clarice”) são extremamente valiosas, especialmente porque referem os lugares imperdíveis, opções de trajeto, dicas interessantes que facilitam o turista aliado a uma maneira econômica de deliciar-se com tudo. Fiquem muito empolgada para próximos destinos. Bela viagem. Obrigada!
    Angela.

  4. 4 Olívia Tureta 27/08/2012 às 19:58

    Serão estes meus próximos destinos, fiquei ainda mais empolgada. Valeu a dica!

  5. 6 Mariana 28/08/2012 às 13:55

    Eu queria saber do João, qual companhia aérea ele foi do Brasil para Budapeste e de Paris-Brasil e qual foi de Praga para Paris? ele comprou desde aqui no Brasil ou lá mesmo? e quanto foi??
    Acho que vou seguir o roteiro dele…

    • 7 Wanessa 28/08/2012 às 20:45

      Mariana, é pouco provável que o João veja o seu comentário, por isso, vou responder por ele.

      Quase todas as companhias aéreas que ligam o Brasil à Europa podem levar você a Budapeste, com uma conexão na sua cidade-base na Europa. Por exemplo: se for a TAP, você faz uma conexão em Lisboa; a Air France, em Paris; a KLM, em Amsterdam, e assim por diante. O mesmo vale para o voo Paris-Brasil. O trecho entre Praga e Paris, você pode tentar incluir na passagem intercontinental ou comprar separado, com uma empresa low cost.

      Aconselho que você pesquise nos sites de venda de passagem (como o Decolar) quais as tarifas e conexões mais vantajosas para você. Não recomendo que compre a passagem nesses sites. O melhor é usar um agente de viagens ou o site das próprias companhias aéreas, para evitar intermediários.

      Para você aprender mais sobre a compra desse tipo de passagem multidestino, recomendo dois posts do Viaje na Viagem. Depois de lê-los, vai ser tranquilo escolher a sua passagem: http://www.viajenaviagem.com/2011/12/como-montar-viagem-europa/ http://www.viajenaviagem.com/2011/12/passagens-multidestinos-em-que-site-voce-compra/

      • 8 João. 05/09/2012 às 19:04

        Oi, Mariana.
        Vi hoje a tua pergunta… Viajei Rio-Amsterdam-Budapeste e Paris-Rio pela KLM com milhas Smiles. O trecho Praga- Paris foi pela Czech Airlines e a passagem foi comprada no Brasil pela Decolar.com. Paga-se uma taxa adicional pela compra aqui. O total do trecho foi +/- 300 euros para 2 pessoas em classe econômica.
        Abs, boa viagem.
        João.

  6. 9 daniel 10/10/2012 às 17:09

    Oi. Estou pensando em fazer esse roteiro em Dezembro. Sera que o frio estraga a viagem???

  7. 11 Paula 21/10/2012 às 22:30

    Olá! Estou planejndo minha primeira vigem a Europa. Será em julho do ano que vem, com meu marido. Ainda estou bem perdida. Quando comecei a pesquisar tinha em mente dois destinos definidos: Paris e Amsterda. Vc acha queincluir Praga nesse roteiro é viável? Ficará mto cansativo?

    • 12 João. 22/10/2012 às 19:32

      Oi, Paula.
      Vou dar uns pitacos…
      Tudo vai depender do nº de dias que tens para a viagem: se forem muitos dá para incluir Praga, mas a viagem teria de ser por avião.
      Acho que Paris e Amsterdam combina mais com Bruxelas e Bruges ou até com Londres pela proximidade e com a vantagem de poder fazer por trem, o que é sempre muito prazeroso.
      Em todo o caso, Paris com arredores e Amsterdam com arredores pode consumir todo o teu tempo disponível e ser, também, muito prazeroso, além de evitar tantos deslocamentos.
      Era isso.
      Abs, boa viagem!
      João.

      • 13 João. 22/10/2012 às 19:50

        Esqueci: com a licença da Wanessa!

        • 14 paula 22/10/2012 às 22:02

          Obrigada João. Quanto ao número de dias tenho o mês de julho disponível. Vou pensar melhor. Assim que decidir volto para contar. Abs.

          • 15 Wanessa 23/10/2012 às 7:37

            Olá, Paula!
            O João está certo. Praga é um belo destino, mas basta você olhar no mapa para ver que ela está “fora da rota” nessa sua viagem por Paris e Amsterdam.
            Aliás, esse roteiro que o João sugeriu foi parecido com o da primeira viagem que planejei sozinha: Londres, Amsterdam, Bruxelas e Paris. Fiquei mais ou menos 25 dias viajando, mas a maioria das pessoas não precisaria de tantos dias para esse roteiro. Eu prefiro ficar mais dias em cada lugar.
            Se você tem um mês inteiro, tem tempo de ir a Praga tranquilamente, mas eu optaria por um roteiro mais compacto, explorando o interior da Bélgica e da Holanda ou da França (pra esta, uma vida inteira deve ser pouco…).

            João, fique à vontade, seus pitacos são sempre certeiros!

            • 16 João. 23/10/2012 às 8:32

              Oi, Wanessa.
              Quero agradecer o espaço: de vez em quando vou “meter o bedelho”, então!
              Abs, João.

  8. 17 youko 24/10/2012 às 20:23

    viajei para a praga, republica checa, passar alguns dias de ferias.
    gostei muito da cidade medieval, dos castelos, esculturas, teatros musicais. fiz compras perto da praça cidade velha,
    Era penultimo dia ja tinha ido no castelo com o guia, e a tarde fui com a minha irma,fazer compras, estava exausta, logo que sai de uma loja estava voltando para o hotel,
    estava exausta, com a bolsa no ombro, senti mexer na minha bolsa e quando percebi, olhei para tras uma jovem estava bem atras,
    fingindo como nada tivesse acontecido ….e la se foram os meus euros e dolares e o meu documento de identidade.
    fiquei muito chateada,eu que moro em s.p. na capital que tomo muito cuidado me aconteceu esse episódio numa cidade tao deslumbrante como Praga.

    • 18 Wanessa 24/10/2012 às 20:53

      Yuoko, lamento muito o que aconteceu. Serve de lembrete para a gente manter a cautela sempre. Na Europa, normalmente não corremos risco de ser vítimas de crimes violentos, mas esses golpes contra turistas são bem comuns.

    • 19 ana maria 03/11/2012 às 10:20

      Documentos e Dinheiro ainda vale levar naquelas “pochetes” internas…e o dinheiro que se vai utilizar para um café ou algo assim num bolso na parte de frente de sua roupa. Tem um programa agora na Tv, não lembro se é no canal TLC que fala dos perigos destas cidades turisticas, muitas belezas mas alguns golpes!

      • 20 Wanessa 03/11/2012 às 12:54

        Sabe que eu só usei esse tipo de pochete nas minhas primeiras viagens, Ana? Depois, passei a usar uma bolsa normal (dessas cruzadas sobre o corpo) ou uma mochila pequena. Uma vez, levei numa viagem uma bolsa que era totalmente inadequada, porque, apesar de ter um bolso central com zíper, tinha outros bolsos sem fecho. Acabei não usando ela, porque achei que esse bolsos abertos iriam atrair ladrões, mesmo vazios. Mas parei de usar a tal pochete porque não carrego nada de muito valor na bolsa: só dinheiro suficiente para o dia e um cartão. Passaporte e outros cartões ficam no cofre do hotel. Não é garantido, mas até agora a estratégia tem funcionado.

  9. 21 ana maria 03/11/2012 às 10:17

    Olá Wanessa, estou começando a montar o orçamento da próxima viagem que seria exatamente Budapeste, Viena e Praga…O João disse que foi de trem de uma cidade a outra. Mas vc saberia me dizer se de onibus eu consigo um preço mellhor? Tentei achar empresas de onibus na Internet e não consegui. Obrigada!
    Ana

    • 22 Wanessa 03/11/2012 às 12:44

      Olá, Ana Maria!
      Eu também fui de trem quando fiz essa viagem, por isso não conheço como funcionam os ônibus na prática. Sempre li que eles são o meio de transporte mais barato na Europa, mas não se deve esperar muito conforto nessas viagens. Eu encontrei algumas empresas que fazem os trechos que lhe interessam:
      https://westbus.at/en/service/faq/timetables-and-maps/
      http://www.volanbusz.hu/en/
      Essa segunda parece ser o braço húngaro da Eurolines, que é uma empresa bem conhecida.
      Você pode pesquisar e comparar os preços com o dos trens e ver se a economia vale a pena.

  10. 23 Jeová e Dionísia 03/11/2012 às 15:04

    Wanessa

    Estamos pretendo dar um “giro” pela Europa em abril de 2013. Escolhemos 5 cidades bases (Porto, Bruxelas, Praga, Viena e Lisboa) aonde permaneceremos três dias em cada uma delas. Com exceção do trecho Praga-Viena que pretendemos fazer de trem ou carro, o restante será todo aéreo. No roteiro inicial tínhamos incluído Berlim, Budapeste e Dubrovinik, porém buscando limitar a cinco a quantidade de hotéis resolvemos eliminá-las.

    Gostaria de saber sua opinião sobre:
    1. Três dias em cada cidade base é suficiente para visitarmos seus principais pontos turísticos (incluindo arredores)?
    2. Cinco mudanças de hotéis numa viagem de 16 dias, não será cansativo?
    3. A manutenção de Praga em detrimento de qualquer uma das cidades eliminadas foi uma boa escolha?

    Obrigado

    • 24 Wanessa 03/11/2012 às 17:47

      Jeová e Dionísia!

      Se entendi bem, vocês pretendem passar 3 noites em cada uma das 5 cidades. Sendo assim, terão dois dias inteiros e um pela metade em cada lugar. Sugiro que planejem os deslocamentos para a noite. Assim, vocês aproveitam o dia numa cidade, tomam o trem ou avião por volta das 19:00h e ainda chegam na próxima base com tempo de dormir bem e levantar cedo no dia seguinte, ficando com quase 3 dias inteiros em cada base.

      Respondendo às perguntas:

      1) acho que esse tempo é suficiente para conhecer Viena e Praga, sem visitas aos arredores. Aliás, para Praga, o ideal seria mais uma noite. No deslocamento entre essas cidades, vocês podem programar uma parada em Cesky Krumlov, uma cidadezinha da República Tcheca (eu não fui, mas tive muita vontade. Detalhes aqui http://majots.wordpress.com/2009/08/26/cesky-krumlov/ ).

      Em Lisboa, dá para fazer um passeio fora da cidade, e eu escolheria Sintra (mas também não fiz…). Apesar de eu não conhecer o Porto, o tempo é suficiente para esticar até Coimbra.

      Em Bruxelas, vocês podem ir a Bruges e Gent.

      2) achei o ritmo da sua viagem um pouco puxado, mas eu sou exceção, gosto de um ritmo mais lento, com tempo para voltar nos meus lugares preferidos de cada cidade. No lugar de vocês, eu talvez preferisse cortar mais uma base (mas eu sei como isso é difícil…). Com um pouco de esforço, dá para executar esse roteiro como está.

      3) Vocês só questionaram se valeria a pena trocar Praga, mas a cidade mais “controversa” do roteiro é Bruxelas. Não sei se vocês têm um interesse especial por ela, e eu particularmente adoro a cidade, mas muita gente n]ao gosta, acha sem graça, velha ou suja. Eu acho autêntica!

      Como Praga e Viena estão no roteiro, ficaria mais fácil combiná-las com Berlim ou Budapeste, porque dá para viajar de trem entre todas elas. Bruxelas casa mais fácil com Amsterdam e Paris, um roteiro que também pode ser feito todo de trem.

      Sobre Budapeste, tenho que dizer que também não é uma cidade unânime. Eu acho fascinante, mas, como Bruxelas, ela não agrada a todos.

      Enfim, eu trocaria Bruxelas por Berlim ou Budapeste, dependendo dos interesses de vocês, e deixaria Praga no roteiro. Não conheço Dubrovnik, por isso, não tenho como opinar sobre ela, mas meu palpite é que também está meio deslocada nesse roteiro e valeria mais a pena inclui-la numa viagem com mais tempo para esticar por outras partes da Croácia.

      Se decidirem manter Bruxelas, não deixem de visitar o Turomaquia, que está com uma série de posts excelente: http://turomaquia.com/category/europa/belgica/bruxelas/

      Caso prefiram Berlim, este post do Alessandro está imperdível: http://fuievouvoltar.com/2012/09/02/berlin-i-mog-di/, assim como os do Turomaquia, sobre os museus da cidade: http://turomaquia.com/category/europa/alemanha/

      Outra observaçao sobre o roteiro: acho que vocês deixaram Lisboa e o Porto “nas pontas” da viagem por causa dos voos de ida e de volta do Brasil, não? Mesmo se for esse o motivo, talvez fosse melhor deixar as duas cidades juntas, no começo ou no fim da viagem, para não “quebrar” a experiência de conhecer Portugal. Vocês poderiam chegar por Lisboa, pegar uma conexão imediata para a cidade seguinte do roteiro, e, no final da viagem, ficar uns dias em Portugal. Ou fazer isso no início da viagem e voltar a Lisboa apenas para pegar o voo de volta para o Brasil (eu prefiro a primeira opção apenas porque, se o voo interno – Viena – Lisboa, no seu exemplo – não for incluído na passagem intercontinental, a companhia aérea não se responsabiliza por qualquer problema que vocês tenham na conexão).

      Espero não ter trazido mais dúvidas do que respostas! 🙂 Qualquer coisa, estou aqui para outros pitacos.

  11. 26 Paula 04/11/2012 às 9:44

    Wanessa e João, obrigada pelas respostas.
    Por tudo que li e pelo mapa da Europa, já tinha percebido que incluir Praga em uma viagem com destinos como Paris e Amsterda é totalmente fora do roteiro. Minha ideia inicial era fazer Roma – Paris – Amst ou susbtituir Roma por Londres. Mas meu marido, principalmente, está querendo mto ir a Praga. Estamos em um impasse! Pesquisamos os voos e vimos que de amsterda para Praga a viagem dura 1:30. (easy jet) Ficaríamos na cidade por quatro dias e de lá voltaríamos para o Brasil (tem um voo pela Ibéria com bom preço) Embora não seja o roteiro mais convencional, acho que é viável, não? Muito obrigada!!!! Bjs

    • 27 Wanessa 04/11/2012 às 10:00

      Totalmente vivel, Paula! No vale a pena trocar uma cidade que seu marido quer tanto conhecer s por causa da localizao, se o tempo suficiente para fazer esse desvio. Boa viagem!

  12. 28 Jeová e Dionísia 04/11/2012 às 12:11

    Wanessa

    Acabamos de ler seus comentários, sem dúvida alguma nos trouxeram muito mais respostas do que dúvidas. A principal delas foi a de eliminar Bruxelas, reduzindo o número de bases para quatro (Porto, Lisboa, Praga e Viena), o que, mantendo o total de dias da viagem, possibilitará um ritmo mais confortável.

    Obrigado!

    Um grande abraço

    Jeová e Dionísia

    • 29 Wanessa 04/11/2012 às 19:32

      Acho que vocês não vão se arrepender.
      Tirando Bruxelas, acho que faz mais sentido ainda concentrar os dias em Portugal no meço ou no fim. Assim, vocês podem organizar um bom roteiro de uma semana por lá e depois seguir para mais uma semana entre Viena e Praga.

  13. 30 Paula 09/11/2012 às 9:33

    Wanessa e João,

    Comprei as passagens de ponta! Finalmente decidi, vou a roma, Paris, amsterda e Praga! Meu voo sai do Rio para roma e a volta é Praga. Estou precisando de algumas dicas de como chegar a Praga. O percurso será Amsterda-Praga. Vi alguns voos na easyjet, vcs aconselham? A viagem é só em julho/2013, vale a pena comprar agora?

    Mais uma vez, obrigada. E sempre bom contar com a opinião de pessoas mais experientes, sobretudo porque essa é a nossa primeira viagem internacional.

  14. 32 Paula 09/11/2012 às 20:34

    Vou seguir suas dicas. Obrigada, bjs

  15. 34 Paula 16/11/2012 às 16:22

    Obrigada João, esse trecho vou fazer de trem mesmo. Vc já viajou por alguma low coast?

    • 35 Wanessa 16/11/2012 às 18:24

      Oi, Paula,
      Sei que a pergunta foi para o João, mas vou lhe contar minha (pouca) experiência. Das empresas consideradas low cost, só voei na espanhola Vueling e não tinha muita diferença de um voo regional de uma companhia tradicional, não. Saiu sem atraso, o limite de bagagem era bem razoável e tinha poltrona marcada.
      Também voei na inglesa BMI e na alemã Air Berlin, mas elas não são tão low cost assim, pois, apesar de terem preços bem competitivos, são empresas antigas, anteriores a essa onda. Não tenho nada a reclamar dos serviços, ao contrário, foram ótimos voos.

  16. 37 Paula 20/11/2012 às 17:34

    Obrigada amigos!
    Hoje conclui a primeira etapa da viagem, comprei aos trechos internos. Após muito pesquisar, optei pela easyjet. Saiu mais barato e li muito a respeito da empresa, fiquei mais confiante. O trecho de trem Paris-Amsterdam farei de trem e as passagens para a data que quero ainda não estão disponíveis. Bem é isso! Agora é partir para a escolha dos hoteis! Obrigada pela ajuda! Abraços

    • 38 Wanessa 21/11/2012 às 8:31

      A viagem com a Easyjet vai dar certo, Paula! Se funciona pra tanta gente… Essa parte dos hoteis eh trabalhosa. mas ate ajuda a gente a conhecer um pouco mais da geografia da cidade. Se quiser ajuda, estou por aqui.

      • 39 Mauricio 22/11/2012 às 7:48

        Paula,

        Eu viajei pela Easyjet de Paris-Lisboa em 2010 e foi agradável. Eles não marcam assento, por isso tem que ficar esperto na abertura do voo. A bagagem também é limitada e tem que tomar cuidado em relação ao peso e a bagagem de mão.
        O que eu achei mais estranho foi que, apesar do comandante solicitar que todos ficassem com os cintos apertados, pois estávamos passando por uma pequena turbulência, eles continuaram vendendo as coisas com o carrinho no corredor, o que não é recomendável pela legislação internacional. Eles vendem até “raspadinha” dentro do avião, chega a ser engraçado.
        Os dois voos foram bons, sem atrasos.

        • 40 Paula 16/12/2012 às 12:40

          Obrigada Maurício. No momento de comprar a passagem achei melhor pagar um pouco a mais e garantir o assento junto com meu marido! Já li bastante a respeito das bagagens, vou ficar esperta!

  17. 41 aninha sanchez 25/11/2012 às 12:47

    olá, Estou motando este roteiro para Maio do ano que vem, pesquisando as companhias aéreas, gostei dos preços da British Airways, pois posso entrar por Budapeste e sair por Amsterdam….enfim o site da BA não informa se eles parcelam, li tudo sobre payment e nada. Alguém já comprou diretamente com eles e sabe se parcelam? Agradeço muito!
    Aninha Sanchez

    • 42 Wanessa 25/11/2012 às 19:48

      Aninha, com companhias aéreas internacionais, o mais comum é não haver parcelamento. Simulei uma compra na British e não vi nenhuma opção mesmo.
      Você pode tentar emitir sua passagem por uma agência de viagem. Desse jeito, talvez a agência disponibilize alguma modalidade de pagamento parcelado.
      Ao pesquisar em sites de companhias internacionais, lembre-se de verificar em que moeda os preços estão sendo exibidos.

      • 43 aninha sanchez 26/11/2012 às 7:54

        Obrigada Wanessa, vou ficar atenta e ver se vale a pena parcelar com agências ou pagar à vista direto a companhia aérea. Boa semana!!!
        Uma outra dúvida surgiu. Quando viajamos utilizamos aquele CArtão Travel Money, carregamos euros pq só fomos a países que utilizam o mesmo, contudo na Hungria e na República Tcheca seriam outras moedas, mesmo assim vc recomendaria? Ou neste caso o cartão só serviria para saques?

        • 44 Wanessa 26/11/2012 às 20:43

          Oi, Aninha! O carto VTM funciona normalmente para saques e compras em dbito. O que acontece que ele faz a converso dos euros que esto “depositados” nele para a moeda local. Eu acho esse tipo de carto bem prtico, mas voc pode tambm habilitar o seu carto de banco comum, que usa aqui no Brasil, pra fazer dbitos no exterior.

        • 45 João. 26/11/2012 às 21:38

          Aninha,
          usei o Visa Travel Money em viagem por Budapeste e Praga. Funcionou muito bem! Serve para saques em moeda local e para pagamentos, na forma débito, em qualquer estabelecimento.
          João.

          • 46 aninha sanchez 27/11/2012 às 8:23

            Olá João e Wanessa, era isso que eu queria saber, por causa da moeda não ser euro eu não tinha idéia se conseguiria pagar em débito nesses dois países.
            Obrigada a ambos!

  18. 47 Paula 16/12/2012 às 12:48

    Amigos,

    Concluídos o roteiro e a compra das passagens, iniciei minha busca pelo hotel!

    Vocês têm alguma sugestão?

    Eu e meu marido somos pessoas simples, não estamos procurando um hotel de luxo. O que mais importa para nós é a localização, a limpeza e um hotel com banheiro no quarto! Ah, segurança tb é um quesito importante, principalmente pq queremos passear a noite pela cidade.

    Já vimos alguns hotéis em Mala Strana e Centro, o que vcs acham?

    Outra coisa, vou viajar no mês de julho, é necessário um hotel com ar condicionado? A maioria dos hotéis em Mala Strana não têm ar…

    Obrigada mais uma vez!!!! Beijos

    • 48 Wanessa 16/12/2012 às 21:18

      Oi, Paula!
      Gosto de escolher hotéis, mas as opções são tantas que acaba ficando meio estressante. Eu tento definir primeiro a localização, para restringir um pouco as possibilidades.
      Em Praga, gostei muito de ter ficado em Mala Strana. Considerando o que vi nos passeios que fiz pelo centro (perto da Praça Wenceslau), eu acho que não teria gostado tando de ficar por ali. O que achei melhor de estar em Mala Strana foi poder dormir e acordar na parte mais linda da cidade, inclusive para ver a Ponte Carlos cedinho, antes dos turistas aparecerem. Além disso, é um ponto ótimo para conhecer tudo a pé, mas, ao mesmo tempo, bem mais tranquilo do que se eu tivesse ficado nas proximidades da praça da Cidade Antiga (Stare Mesto).
      O meu hotel foi o Kampa Garden (http://www.kampagarden.cz/en/), que é bem simplesinho, mas tinha essa localização perfeita, wi-fi livre nos quartos, era bastante limpo e estava com um precinho muito barato. Sobre a segurança, eu não fiquei fora até a madrugada, mas, até as 23:00, achei a cidade muito segura (o pessoal do hotel disse que pegar transporte público e caminhar pelo centro histórico nesse horário seria tranquilo, e foi o que achei – e olha que estava sozinha).
      Na época em que eu viajei (abril), não precisava me preocupar com ar condicionado, mas em julho, talvez seja necessário. Veja o que dizem no Booking e Tripadvisor as pessoas que viajaram no mês de julho.
      Continuo por aqui!

      • 49 aninha sanchez 17/12/2012 às 8:55

        Olá Wanessa, gostaria de saber se vc conhece um site chamado airbnb. Neste site pessoas colocam seus quartos e apartamentos para alugar em diversas cidades do mundo. Tenho amigos que já alugaram e disseram que correu tudo muito bem. Nas páginas dos apartamentos, de um site muito bem feito, tem também as opiniões de quem ficou hospedado nestes lugares. Achei muito interessante e preços bem mais em conta que hotéis. Não tem café da manhã, mas tem roupa de cama e banho. Tem que pesquisar assim como pesquisamos os hotéis, mas é bem interessante.https://www.airbnb.com.br/

        • 50 Wanessa 17/12/2012 às 21:31

          Oi, Aninha!
          Eu já ouvi falar no Airbnb, mas nunca usei o serviço. Gosto da ideia de hospedagem em apartamentos, porque a experiência fica mais próxima da vida local, mas acho melhor quando estou voltando a uma cidade já conhecida, porque fico mais segura para escolher uma boa localização, o que é mais importante ainda se não vou ter a estrutura de apoio de um hotel. Obrigada pela dica!

      • 51 Paula 17/12/2012 às 22:04

        Estou procurando o hotel em Mala Strana. Cheguei a ver o hotel que vc ficou, mas acho que não tinha ar condicionado, como a maioria nessa região. De qq forma vou checar novamente. Beijos e feliz natal!

  19. 53 Viajante remediado - Juliana 07/03/2013 às 12:00

    Olá, vcs lembram quanto custaram os trechos feitos de trem? Foram comprados na hora ou pela internet?
    Obrigada!

    • 54 Wanessa 07/03/2013 às 20:23

      Oi, Juliana,

      Não lembro o preço das passagens.
      A Ana Maria sugeriu usar ônibus, por ser mais barato. Em geral ela tem razão, o ônibus é o meio de transporte mais barato na Europa. Eu prefiro viajar de trem, pela comodidade e conforto dos trens na Europa ocidental.
      O segredo para encontrar as passagens mais baratas é comprar diretamente no site das companhias que operam em cada país e buscar as passagens logo que elas ficam disponíveis para a venda (varia de empresa para empresa, mas você pode começar a buscar uns 3 meses antes da data da viagem).
      O site da Rail Europe, que a Ana Maria citou, tem preços bem mais caros porque eles cobram comissões pelo serviço. Fique atenta para o site onde vai fazer a compra, pois alguns intermediários constroem sites que fazem parecer que eles são o vendedor “oficial”.
      Os sites das companhias dessa região são:
      https://www.cd.cz/eshop/ (República Tcheca)
      http://intercity.pl/en/ (Polônia)
      http://www.mav-start.hu/english/index.php (Hungria)
      http://www.oebb.at/en/index.jsp (Áustria)
      http://www.bahn.de/p/view/index.shtml (Alemanha)
      Na época que viajei, não era possível comprar passagens na Hungria e na Polônia pela internet por isso, deixei para comprar na estação, ao chegar à cidade. Mas agora já é possível. Eu prefiro antecipar a compra das passagens, por praticidade.
      Se surgirem outras dúvidas, pergunte novamente!

  20. 55 ana maria 07/03/2013 às 17:15

    Após muita pesquisa pois vamos para algumas destas cidades em maio, achei algumas empresas de trem e onibuss e aqui estão elas : jizdnirady.iDNES.cz, ÖBB , Máv-Start, Raileurope e Cz Transportation , algumas aparecem em tcheco e hungaro, mas é só procurar o botão english. Verificamos que o onibus é bem mais em conta que os trem e demoram apenas 10 minutos a mais no trajeto. Vale a pena analisar se a viagem mais curta não seria legal ser neste tipo de veículo. Mas podemos deixar uma resposta melhor depois de viajar neles, correto? Mesmo entre os trens há bastante diferença de preços. Ex: um trem de Buda a Praga é 19 euros pela mav-start , uma empresa hungara e na raileurope sai por 115 euros, tudo 2a classe. Vale a pena entrar nos sites e pesquisar. Amigos dizem que o ideal é comprar 1 mês antes de viajar pela Internet pq na hora ficaria muito caro, mas acho que a Wanessa pode dizer se isso procede. Espero ter ajudado.

  21. 57 iara silveira 19/03/2013 às 22:29

    E quanto a dificuldade com os idiomas em Praga, Viena e Budapeste, dizem que muitos não falam ingles e que as indicações nas ruas também estão somente no idioma local. É assim mesmo?

    • 58 Wanessa 19/03/2013 às 22:55

      Olá, Iara!

      Você poderá encontrar pessoas que não falam inglês nessas cidades – principalmente em Budapeste. Mas isso não representa exatamente uma dificuldade, pois você acabará se fazendo entender, apontando o mapa ou o guia, com mímica, enfim, sempre dá-se um jeito! 🙂

      Quanto aos nomes de ruas, eles sempre estão no idioma local, não? Você vai encontrá-los escritos da mesma forma no seu mapa e no guia. As atracões turísticas nessas cidades são bem sinalizadas, com indicações em inglês. As três cidades são muito visitadas e estão preparadas para receber turistas de todo o mundo. Vá sem medo.

  22. 59 iara silveira 28/03/2013 às 15:55

    Bem, assim creio que iremos por conta própria.

  23. 60 Cinthia 29/06/2013 às 0:09

    Oi saneada. Meu nome e cintaria e estou programando uma viagem p estas três cidades. Nunca fui lae vosso. Será com umaexcursao, mas ao q parece 8 dias e pouco né? O q v recomenda? Irei em outubro, pois pretendo passar meu aniversario lá. Obg

    • 61 Wanessa 29/06/2013 às 8:11

      Olá, Cinthia
      Excursões costuma passar muito rápido pelas cidades, pois têm uma programação “fechada”, padronizada, e fica pouco tempo livre para cada um fazer seus próprios programas. Escolha bem o que você que ver para tirar o máximo proveito dos seus dias livres!

  24. 62 Anna Fernandes 03/07/2013 às 14:35

    Oi Wanessa,
    farei esse roteiro sozinha (praga- viena e budapeste) …como é em relação a segurança? Possi ir tranquila da mesma forma que iria a uma cidade mais turistica da europa (paris por exemplo)?
    Tenho muita curiosidade de conhecer Budapeste principalmente, já ouvi coisas incriveis! Mas tenho um certo receio por estar sozinha e acabar sendo alvo facil…help me! beijos

    • 63 Wanessa 03/07/2013 às 20:33

      Olá, Anna!
      Também fiz esse roteiro sozinha e não tive nenhum problema, me senti bastante segura nessas cidades. Mas eu não costumo sair pra chegar tarde da noite. Minha programação noturna se resume a um teatro ou um jantar, volto sempre até as 10:00, 11:00h. Até esse horário, peguei transporte público e caminhei sozinha nessas três cidades sem problemas (às vezes, pode aparecer alguém com uma conversa meio inconveniente, mas é só dispensar 🙂 ). Sempre escolho hotéis bem localizados para evitar caminhar por zonas desertas à noite.
      Ah! E eu acho que é bem mais fácil ser vítima de algum golpe nas regiões mais turísticas de Paris do que em Budapeste, Viena ou Praga! Golpistas ou batedores de carteira existem em todo lugar, mas vá sem medo de ser vítima de violência.
      Aliás, falando de golpes, os taxistas de Praga são famosos por enganarem turistas. Se você acha que vai precisar de táxi lá, peça que o hotel chame ou tenha um número para ligar. Eu não usei serviço de táxis em Praga, mas contratei um transfer da estação de trem pro hotel, porque cheguei à noite. Em Budapeste, também usei transfer de e para o aeroporto, e em Viena, usei o metrô para a estação de trem.

    • 64 Iara Silveira 03/07/2013 às 20:43

      Estive mês passado em Praga, Viena e Budapeste, eu não estava sozinha, mas não senti qualquer insegurança, são cidades como outras em se deve ter os cuidados habituais. Andamos de metro e caminhamos muito, sem nenhum estresse.

  25. 65 Fernando Torres 14/08/2013 às 16:24

    Em setembro eu e minha esposa iremos para Viena, Budapeste, Bratislava, Cracóvia (Polônia) e Praga. Um casal de amigos belgas nos encontrarão em Viena e de lá partiremos de motor-home. Ficaremos 3 dias em cada cidade. Dormiremos no próprio motor-home que ficará em Campings. Parece que será uma viagem legal e diferente das que eu já fiz. Estou sempre lendo sobre suas dicas de viagens e se tiver algumas dicas, serão bem vindas.

    • 66 Wanessa 14/08/2013 às 20:24

      Oi, Fernando!
      A sua viagem vai ser bem diferente mesmo! Eu nunca viajei nesse estilo, por isso, não posso dar dicas especificas para uma viagem com motorhome.
      Apenas quanto ao roteiro: você disse que serão 3 dias em cada cidade, mas talvez seja muito tempo para uma cidade pequena como Bratislava, que normalmente é visitada como um passeio de um dia a partir de Viena. Eu mesma acabei nem indo lá, porque os 3 dias inteiros (sem deslocamento) que fiquei em Viena foram pouco para o meu gosto. Procure planejar o que você gostaria de ver em Bratislava para decidir se um ou dois desses dias não serão melhor aproveitados em outro ponto da viagem.

      • 67 Fernando Torres 14/08/2013 às 20:56

        Eu acredito que passaremos apenas um dia em Bratislava…quem fez o roteiro foi o casal de amigos belgas. Eles me disseram que gostariam de passar um dia em um pequeno povoado (esqueci o nome) perto de Bratislava, onde eles conhecem algumas pessoas de lá. Pra mim tudo é novidade. Eu procurei saber e pude ver que nos campings onde ficaremos, tem toda a estrutura de hotel fazenda, parece muito bom. E são perto dos centros das cidades. Você já esteve em Cracóvia?

        • 68 Wanessa 14/08/2013 às 21:42

          Então está tudo certo, Fernando, eles já devem ter uma idéia da programação para vocês aproveitarem bem esses dias. E, com conhecidos no local, vocês vão ter a chance de ter uma experiencia que vai muito além dos locais turísticos.

          Acredito que a estrutura dos campings é boa, porque esse tipo de viagem é bem mais comum na Europa que aqui no Brasil.

          Já estive em Cracovia, mas não escrevi nenhum post aqui no blog. Nem por isso pense que não gostei de lá, porque adorei! Escrevi um post sobre Varsóvia, mas você pode encontrar algumas informações sobre Cracovia também nos comentários. O post é este: https://cadernosdeviagem.wordpress.com/2010/08/29/10-coisas-sobre-varsovia/

  26. 69 Paula 23/08/2013 às 22:37

    Olá amigos!
    Minha viagem terminou há um mês e ainda estou sonhando! Passear pela ponte carlos é um passeio incansável! Que lugar lindo! Mesmo lotada de turistas – pq fui em julho – a viagem foi ótima.

    Fiquei no hotel pod vezi, em mala strana, e recomendo. A localização é ótima e o serviço muito bom. Tem ar condicionado, no verão é necessário.

    Passei ao todo 05 noites e achei suficiente.

    Se puder ajudar em alguma coisa é só falar!

  27. 70 ANGELO FRANCHI 31/03/2014 às 23:55

    Em Budapest a moeda é o Forint, qual a moeda que devo levar para trocar – euros ou dólares americanos, ou aceitam normalmente essas moedas que certamente são mais fortes que a moeda local – pois o cartão de crédito agora tem mais 6,38%, o que levar – trocamos lá por forint?
    valeu todas as dicas acima – obrigado.
    atenciosamente.

    • 71 Wanessa 02/04/2014 às 8:06

      Olá, Angelo! Eu não tenho o hábito de carregar dinheiro em espécie quando viajo, pois não me sinto segura fazendo isso (o risco de ser roubada é o menor, mas posso me descuidar e perder o dinheiro, receber moeda falsa ao tentar fazer câmbio…). Continuarei usando os meios eletrônicos de pagamento (VTM, saques direto da minha conta bancária e cartão de crédito), apesar do aumento do imposto. Se fosse levar moeda para fazer câmbio em Budapeste, escolheria o euro. Não sei de eles aceitarem euros ou dólares no lugar da própria moeda. Boa viagem!

      • 72 iara silveira 02/04/2014 às 8:20

        Estive ano passado em Budapeste e constatei que só alguns lugares aceitam euros, assim fiz cambio para a moeda local em pequenos valores e usei mais o cartão de débito e não tive problemas.

        • 73 Wanessa 02/04/2014 às 8:26

          Obrigada pela ajuda, Iara!

        • 74 ANGELO FRANCHI 02/04/2014 às 21:52

          obrigado IARA, sempre que viajo levo os cartões, porém agora o governo acrescentou às compras com eles mais 6,38%, evidente que temos que pensar em custos x benefícios – como segurança, valeu.

  28. 75 Cupom de desconto 02/04/2014 às 15:16

    Bom dia, parabens pelo post esta super bem escrito e com detalhes e dicas de como se portar em uma viagem eu vivi na europa durante 13 anos. Perfeito.

  29. 76 Laura Moraes 13/04/2014 às 10:16

    Gostei muito. Vou passar 20 dias na Europa em julho e gostei muito das dicas. Alem de Praga, Viena e Budapeste ainda tenho cinco dias livres. Acha a Croacia uma boa opção?

    • 77 Wanessa 21/04/2014 às 18:06

      Oi, Laura!
      Acho a Croácia muito adequada para a época da sua viagem, pois o pais é famoso pelas praias no Mediterrâneo. Mas acho 4 dias pouco tempo para dedicar a um lugar tão interessante. Se eu tivesse 4 dias na região, preferiria ir a Berlim.
      Se você optar pela Croácia, não deixe de ler os posts do drieverywhere sobre o assunto, pois a Adriana fez uma viagem bem expressa por lá, e o roteiro dela pode se encaixar nos seus planos.

  30. 78 Silvana 16/04/2014 às 23:45

    amando as dicas, pretendo fazer Viena, Praga e Budapeste em 2015, e aqui encontrei tudo que preciso para me programar !

  31. 80 rsnalmeida2014 13/06/2014 às 11:00

    Olá, Wanessa! Estou planejando uma viagem solo de 30 dias/abril de 2015 (fora os deslocamentos), para Amsterda, Viena, Praga, Budapeste,Eslovenia e Croácia. Iria voando de Amsterda p Viena e de Zagreb para Amsterda, no final. Penso em levar 210 reais para as despesas diárias, fora hospedagem e avião. O que acha? Somente viajei so para Argentina e Uruguai, onde passei 18 dias. E com o inglês básico, da para se virar?Obrigada!

  32. 81 Deborah 20/10/2014 às 23:53

    Ola Wanessa, Boa Noite!

    Parabéns pelo blog, inspirador!!

    Estou programando a minha próxima viagem para Europa e pensei no Roteiro Berlim(4 dias), Praga(4 dias), Viena(3 dias) e Budapeste(3 dias), gostaria de saber se esse roteiro eh tranquilo para fazer sozinha e qual desses lugares concentram mais jovens!

    Super obrigada 😉

    Abs

    Deborah

  33. 82 Airton 27/11/2014 às 17:01

    P/ quem for ao leste Europeu, recomendo Wroclaw, na Polônia. A mais bela cidade que conheci (olhe que passei por Roma, Praga, Cracóvia e Varsóvia, entre outras).

  34. 83 Kaue Rocha 29/12/2014 às 21:46

    Olá!
    Estou cogitando a ideia de ir para o leste europeu em julho (meio em cima da hora kkk)
    Estava pensando de passar 3 dias em Budapeste e uns 5 no max em Praga. Como deu pouco tempo de viagem, estava querendo incluir mais uma cidade. Vi sobre Viena e fiquei interessado, porém li que é meio caro.
    Alguém sabe me dizer qual é mais cara, Berlim ou Viena? Quanto se deve levar no mínimo para gastar por dia em cada cidade?
    Obrigado.


  1. 1 Vienna | Catching all the lights: Trackback em 15/01/2014 às 7:53
  2. 2 Order & Chaos Online Hack Trackback em 13/10/2014 às 7:40
  3. 3 gta for pc Trackback em 14/10/2014 às 4:37
  4. 4 sim city online Trackback em 14/10/2014 às 18:46
  5. 5 star wars commander hack file for you blogspot com Blog Trackback em 16/10/2014 às 5:16
  6. 6 Farmville 2 Hack Cheat Tool V2.8.3.Rar Trackback em 16/10/2014 às 6:20
  7. 7 fifa 15 Ultimate Team triche Trackback em 19/10/2014 às 17:39
  8. 8 usmc fast companyfast track watches for women Trackback em 20/10/2014 às 15:56
  9. 9 clash of clans hack samsung Trackback em 29/09/2015 às 9:39
  10. 10 Flappy Flying - Clumsy Cyrus Wrecking Ball Trackback em 29/02/2016 às 14:26
Comments are currently closed.



Blogs de Viagem

%d blogueiros gostam disto: